Cultura: Exposição virtual conta histórias de heroínas negras e indígenas do Brasil

O Comitê Permanente pela Promoção da Igualdade de Gênero e Raça do Senado Federal lançou a exposição virtual “Heroínas Negras e Indígenas do Brasil”. A mostra foi inaugurada como homenagem pelo dia Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, lembrado anualmente em 25 de julho.


Em 1992, grupos feministas negros de 32 países da América Latina e do Caribe se reuniram em Santo Domingo, na República Dominicana, para denunciar opressões e debater soluções na luta contra o racismo e o sexismo.Esse encontro ficou marcado na história e foi reconhecido pela ONU como o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. No Brasil, a data foi instituída em 2014 como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. Tereza de Benguela foi uma líder quilombola, viveu durante o século 18 e tornou-se ícone da resistência e luta antiescravista.


A mostra faz uma homenagem à memória das mulheres negras e indígenas que contribuíram para a construção da história brasileira. A exposição conta a história de 27 mulheres que construíram nossa história, de Dandara dos Palmares a Marielle Franco. De acordo com os organizadores, parte da seleção das personalidades para a exposição foi pautada no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, também conhecido como Livro de Aço, depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, na Praça dos Três Poderes, em Brasília.


Com informações da Agência Senado, ONU e Geledés.


7 visualizações0 comentário