top of page

Lira afirma que governo terá que debater "forçadamente" reforma administrativa

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta semana que pretende retomar a discussão da reforma administrativa (PEC 32/2020) até o final do ano. O parlamentar afirmou que o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai precisar entrar na discussão da reforma administrativa "forçadamente".


A fala do presidente da Câmara aconteceu durante o painel de abertura de um evento da assessoria de investimentos Montebravo, em Brasília. Ele foi questionado sobre como o governo poderia ajustar as suas contas e afirmou que a reforma administrativa é a "única maneira de controlar os gastos".


“A única maneira de controlar os seus gastos é com reforma administrativa, muita gente se aperreia quando eu falo. A reforma administrativa está pronta […] O governo forçadamente vai ter que entrar nessa discussão até o final do ano”, defendeu.


Lira também vem repetindo a falácia de que a reforma administrativa não afetaria os atuais servidores públicos. Na realidade, a proposta ameaça uma série de benefícios, como auxílios que tenham previsão apenas administrativa. O texto também pretende relativizar a estabilidade dos servidores, ao facilitar demissões.


O governo Lula pretende discutir a reforma administrativa apenas após a conclusão da PEC (proposta de emenda à Constituição) da reforma tributária. No entanto, a gestão petista já se manifestou contra a proposta em tramitação na Câmara, que havia sido enviada pelo antecessor, Jair Bolsonaro (PL).


Com informações: Poder 360 e Folha de S. Paulo.


51 visualizações

Comments


bottom of page