Nota de repúdio aos ataques da administração da DPE/RS à atuação do SINDPERS

O que me preocupa não é o grito dos maus.

É o silêncio dos bons.

Martin Luther King


A direção do SINDPERS vem a público manifestar seu repúdio aos ataques sofridos por esta entidade sindical, na manhã desta sexta-feira (01), por parte da administração superior da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul. Em reunião com os servidores e servidoras da instituição, a atuação do sindicato na defesa dos direitos e na mobilização da nossa categoria foi traiçoeiramente atacada pela administração.


Repudiamos com veemência as acusações de estimularmos o constrangimento de parlamentares. Os contatos divulgados são públicos e de pessoas públicas, que respondem à sociedade por seus atos na condição de parlamentares. Nossa categoria tampouco foi orientada a agir com agressividade e desrespeito, algo que duvidamos que tenha ocorrido por parte de nossos colegas; e que, pela natureza democrática desta entidade, também condenamos.


Repudiamos também a tentativa de constrangimento e censura de nossa atividade sindical. A pressão sobre quem está no poder e a reivindicação fazem parte do jogo democrático e, dentro de um jogo de respeito e lealdade, a busca pelos direitos e interesses da nossa categoria é a essência da missão desta entidade sindical.


O silêncio e a inércia dos de baixo são valores de um regime que não governa nosso país há mais de 35 anos. Regime este que, ironicamente, foi derrotado pelo grito e pelo movimento de grupos sociais que não se resignaram. Ainda que sombras e obscurantismo pairem sobre nossa democracia nos dias atuais, não nos calaremos e não aceitaremos a naturalização do autoritarismo e da censura.


O Poder não deve ser impermeável àqueles a quem representa e não partiremos, em nossa ação sindical, do princípio de que o seja. Continuaremos lutando pelos interesses da nossa categoria e funcionando como peça de organização dos trabalhadores, ainda que nossas demandas possam colidir com interesses da administração, governos e parlamentares, pois esta é a razão da existência sindical.




50 visualizações0 comentário