Reforma Adm: Veja quem são os parlamentares gaúchos a favor da inclusão dos atuais servidores

Uma reportagem do jornal Zero Hora da última sexta-feira (09) revelou uma lista de parlamentares gaúchos que se declararam favoráveis a inclusão irrestrita dos atuais servidores na Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020, da Reforma Administrativa. De acordo com o veículo, dos 31 deputados federais e três senadores, 14 são favoráveis a esta inclusão e cinco concordam em incluir parlamentares e magistrados, mas não os atuais servidores. Outros quatro são contra, três ainda estão analisando e oito não responderam.


Para senador Lasier Martins (Podemos), a reforma precisa ser para “todos”: "Concordo. A reforma administrativa é a mais importante é urgente para o Brasil. Precisa abranger todos”. Já o deputado Carlos Gomes (Republicanos), declarou que concorda com a inclusão dos atuais servidores, mas sobre a inclusão de parlamentares, disse que a questão precisa ser “melhor avaliada”: "Concordo, mas acredito que a questão dos parlamentares precisa ser melhor avaliada em razão dos cargos serem eletivos e por tempo determinado."


Os parlamentares que declararam apoio à inclusão irrestrita dos atuais servidores foram: Alceu Moreira (MDB), Bibo Nunes (PSL), Carlos Gomes (Republicanos), Daniel Trzeciak (PSDB), Giovani Cherini (PL), Jerônimo Goergen (PP), Lasier Martins (Podemos), Lucas Redecker (PSDB), Marcel van Hattem (Novo), Marcelo Brum (PSL), Márcio Biolchi (MDB), Marlon Santos (PDT), Sanderson (PSL) e Santini (PTB).


Já os deputados Afonso Hamm (PP), Danrlei (PSD), Pedro Westphalen (PP), Pompeo de Mattos (PDT) e o senador Paulo Paim (PT) concordam em incluir parlamentares e magistrados, mas são contrários à inclusão do funcionalismo atual. "A reforma tem que incluir todos os poderes. Mas não pode nunca retroagir, ainda mais para pior. Se quiserem avançar, é daqui para frente. Se misturar o passado com o presente, não vai ter futuro”, declarou o deputado Pompeo de Mattos (PDT).


Apenas os deputados Bohn Gass (PT), Henrique Fontana (PT), Fernanda Melchionna (PSOL) e Maria do Rosário (PT) se declararam totalmente contrários à PEC 32/2020. "Somos contra a reforma administrativa e a inclusão dos atuais servidores públicos. A frente mista tenta aprovar uma reforma que significará o fim das carreiras de Estado, que facilitará a corrupção e a perseguição ideológica. Quanto aos parlamentares, defendi a redução de 50% dos salários”, declarou Fernanda Melchionna (PSOL).


Os parlamentares Afonso Motta (PDT), Giovani Feltes (MDB), Marcelo Moraes (PTB), Marcon (PT), Nereu Crispim (PSL), Osmar Terra (MDB), Paulo Pimenta (PT) e Luís Carlos Heinze (PP) não foram encontrados pela reportagem.


Com informações: Gaúcha ZH - reportagem de Silvana Pires


25 visualizações0 comentário